O Latam Manager da Petra Group, André Malheiros, respondeu algumas perguntas da área de tecnologia e agronegócio. Na entrevista ele explica os desafios, as áreas mais cobiçadas e o que é necessário para ser um grande líder.
Vale à pena a leitura.


entrevista01andremalheiros400x224ÁREA: TECNOLOGIA

1- Como é atuar em um mercado que se reinventa a cada instante?
Necessita que o profissional esteja bastante antenado, atualizado e que goste de desafios constantes, pois este é um mercado que se reinventa e sofre mudança a todo instante.

2- Quais são as principais habilidades que um profissional na área da tecnologia deve apresentar para ter sucesso?
- Resolução de problemas;
- Habilidades de comunicação;
- Ética;
- Pensamento Criativo;
- Profissionalismo;
- Sagacidade para os negócios.

3- Quais são os grandes desafios enfrentados pela tecnologia?
– Manter os serviços de TI disponíveis;
– Gerar valor nos projetos de TI;
– Redução de Custos e Riscos;
– Crescimento da complexidade dos ambientes de TI;
– Alinhar a TI com o negócio da empresa;
– Conformidade com normas regulatórias;
– Manter segurança sobre as informações.

4- Qual área da tecnologia mais cobiçada profissionalmente?
- Segurança da Informação;
- Desenvolvimento Full Stack;
- Gerência de Engenharia de Sistemas;
- Programação Mobile;
- Arquitetura de Soluções;
- Big Data;
- IT Business Partner;
- Block Chain;
- Fintechs.

5- O que um grande líder jamais deve esquecer?
- Aprender a ser forte, mas não rude;
- Aprender a ser gentil, mas não fraco;
- Aprender a ser ousado, mas não valente;
- Aprender a ser humilde, mas não tímido;
- Aprender a ser orgulhoso, mas não arrogante;
- Agir com base em valores e virtudes, para influenciar as pessoas ao seu redor, inspirando-as com confiança e esperança.


ÁREA: AGRONEGÓCIO

1- Quais foram as últimas medidas realizadas para ampliar a exportação do agronegócio?
Para ampliar a participação do país no comércio internacional de produtos agropecuários, o governo federal criou um novo plano de ação chamado de Estratégia para Abertura, Ampliação e Promoção no Mercado Internacional do Agronegócio Brasileiro. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, esse plano receberá contribuições dos setores público e privado para elaborar proposta de acesso a mercados, negociações não tarifárias e promoção dos produtos do agronegócio brasileiro.

2- Qual o atual cenário das regiões produtoras brasileiras em relação às condições climáticas?
De maneira geral, no Centro-Oeste, Sudeste, em todo o estado da Bahia até o Sul do Amazonas e do Pará, deve chover abaixo da média. Nesse momento de 2017, as chuvas devem ficar abaixo do normal, porque a atmosfera tropical ainda está fria e não vai produzir muitas chuvas. E se estabelece sobre todo o país um sistema de alta pressão, que é caracterizado por ar seco que desce para a superfície, as nuvens quase não se formam, e o sistema produz temperaturas altas durante o dia e baixas durante a noite

3 - A burocracia ainda é um bloqueio no desenvolvimento da agricultura familiar?
Mesmo que contribuam para ampliar a renda do homem do campo, as pequenas indústrias de produtos coloniais precisam encarar leis que não funcionam ou impõem normas contraditórias, que confundem o empreendedor e prejudicam a produção e comercialização em pequena escala. Diante disso, têm dificuldades para investir e atender às diferentes normas. O maior obstáculo tem sido o licenciamento de venda para além do território do município no qual a agroindústria está instalada, o que expandiria o mercado para todo o Estado e até para o país.
As empresas que trabalham com produtos de origem animal pescados, leite, carne, mel e ovos – e seus derivados são enquadradas em legislação por instância de responsabilidade. Conforme o assessor de agroindústria familiar da Federação dos Trabalhadores na Agricultura.
Quanto maior a instância, maior é a dificuldade de conseguir licença para a atividade, em razão das exigências sanitárias, que não são unificadas entre município, Estado e União.

4- Por que o preço do etanol registrou alta, mesmo com pouca demanda?
A alta acelerada da frota nacional de veículos nos dois últimos anos, aliada à condições atípicas de oferta e demanda de álcool, culminou na disparada dos preços do álcool e agravou a questão dos preços dos combustíveis em geral, pois a gasolina nacional tem 25% de álcool anidro. Nos EUA, esse percentual é de 15%.

5- O governo tem apresentado algum novo investimento nas energias renováveis?
Não. A pressão a favor dos leilões tem sido movida por representantes de investidores que querem construir usinas e fabricantes de equipamentos, que temem ficar com fábricas vazias devido à ausência de novos projetos.
No boom renovável dos últimos anos, o Brasil atraiu produtores de turbinas eólicas como a dinamarquesa Vestas, a norte-americana GE e a espanhola Gamesa, além de fornecedores solares como a chinesa BYD e a Canadian Solar.
O crescimento das renováveis também gerou renda em cidades pobres do Sul e do Nordeste, o que tem feito políticos locais se somarem à pressão sobre as autoridades de energia do governo federal. No início deste ano, governadores do Nordeste foram a Brasília pedir mais leilões de usinas eólicas e solares. Mas o diretor da consultoria Excelência Energética, Erik Rego, acredita que apenas a soma dessas pressões explicaria a retomada dos leilões com força já em 2017.

6- Qual a expectativa do quadro econômico brasileiro em relação às rodadas do pré-sal?
A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) afirmou que as oito áreas que serão licitadas no segundo e terceiro leilões do pré-sal, na próxima semana, deverão demandar investimentos da ordem de US$ 36 bilhões (o equivalente a cerca de R$ 110 bilhões), caso todos os blocos sejam arrematados nas duas licitações. No segundo leilão, serão ofertadas quatro áreas unitilizáveis (áreas adjacentes á campos ou prospectos cujos reservatórios se estendem para além da área concedida): Norte de Carcará, Sul de Gato do Mato e Entorno de Sapinhoá, na Bacia de Santos e Sudeste de Tartaruga Verde, na Bacia de Campos. No terceiro leilão serão licitadas áreas não exploradas de Pau-Brasil, Peroba e Alto de Cabo Frio Oeste, na Bacia de Santos e Alto de Cabo Frio Central, nas Bacias de Campos e Santos.
De acordo com as estimativas da autarquia divulgadas em agosto, em seis das áreas que serão ofertadas há cerca de 12,1 bilhões de barris de petróleo no local. O volume total não se traduz em reservas, pois a maior parte desses recursos não é extraída dos reservatórios por inviabilidade econômica. A expectativa, porém, é que pelo menos 20%. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a maior competição será pela área utilizável de Carcará.

7- Qual área do Agronegócio mais cobiçada profissionalmente?
- Produção Florestal
- Especialidade em commodities, como soja, milho e algodão, com a internacionalização dos negócios.
- Produtos orgânicos
- Alimentos com menos açúcar, ou que trabalhem com ingredientes mais saudáveis.
- Culturas de grãos no oeste
- Cultura de cacau na região sul
- Cadeia de laticínios no extremo sul da Bahia
- Fruticultura no Vale do São Francisco

andre malheirosPor:
André Malheiros
Latam Mananger
Petra Group